domingo, 28 de dezembro de 2014

Folha de pagamento integrada com holerite



A postagem anterior desse blog traz o download de uma folha de pagamento que realiza todos os cálculos do empregado e também um holerite manualmente preenchível, ambas as planilhas construídas no Calc.

Agora o blog traz novamente ambos os arquivos, mas dessa vez, com uma diferença: os dois juntos numa única planilha, funcionando de forma totalmente integrada.

domingo, 30 de novembro de 2014

O Calc encara uma folha de pagamento muito da hora


O Blog Valeu Cara traz uma planilha completa do Calc para cálculo salarial. O planilha calcula automaticamente os valores das horas extras, INSS, Imposto de Renda, Vale Transporte, Salário Família e FGTS. No final soma tudo, faz as devidas deduções e diz exatamente quanto o trabalhador deve receber.

Lembrando que o autor deste blog não é especialista em legislação trabalhista. Para fazer os cálculos foram horas de pesquisas, consultas a legislações, sites, blogs e até a profissionais de contabilidade. Recomendo cautela ao usar a planilha. O tema é complexo, podendo haver variáveis de cálculo não abordadas durante a construção da planilha.Além disso, pode haver mudanças na legislação que torne os cálculos obsoletos.

A planilha é dividida em duas partes, a "Folha de Pagamento" e "Parâmetros" - que é uma planilha a parte que o Calc utiliza para verificar alíquotas e comparar valores para executar seus cálculos.  A planilha "Parâmetros" deve ser atualizada conforme mudanças nas alíquotas.

domingo, 3 de agosto de 2014

Estilos de parágrafos e caracteres no Scribus




Aprenda as funções, configurações e finalidades dos estilos de parágrafos e caracteres. O uso de estilos é uma ferramenta que oferece enormes vantagens, mas que pouca gente utiliza. Ela serva, basicamente, para facilitar a formatação do texto ao longo de cada parágrafo. A princípio parece uma coisa sem muita importância. Mas não se engane. Usar estilos de parágrafos e de caracteres é muito importante no trabalho de criação. Assista a esta vídeo aula e entenda o por quê.


Assine nossa newsletter!

Quer receber as novidades mais recentes do Blog Valeu Cara na sua caixa de entrada?
Informe seu e-mail e clique em Assinar.

Assine o feed RSS Siga o Blog Valeu Cara no Twitter Curta o Blog Valeu Cara no Facebook Blog Valeu Cara no Google+Canal do Blog Valeu Cara no YouTube





Participe deixando seu comentário, dúvida, sugestão, ideias, críticas, exemplos ou o que você quiser na parte de comentários desta postagem. Sua participação é extremamente importante para que este blog esteja sempre melhorando o seu conteúdo.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Trabalhando com textos no Scribus




O Blog +Valeu Cara traz o segundo tutorial da série para os iniciantes do Scribus. Nesta vídeo aula, você poderá acompanhar passo a passo os fundamentos para se trabalhar com textos neste software livre para diagramação.

O texto no Scribus aparece dentro de blocos denominados quadros de texto. Os quadros de texto podem ser criados, excluídos, movidos, redimensionados e alterados. O tipo de ferramenta selecionada é o que determinará o tipo de alteração que poderá ser feita nos quadros de texto.

O Scribus utiliza um conjunto de ferramentas principais para se trabalhar com quadros de texto e cada uma delas possui uma função específica.

Acesse agora este vídeo tutorial e fique por dentro do assunto!


Assine nossa newsletter!

Quer receber as novidades mais recentes do Blog Valeu Cara na sua caixa de entrada?
Informe seu e-mail e clique em Assinar.

Assine o feed RSS Siga o Blog Valeu Cara no Twitter Curta o Blog Valeu Cara no Facebook Blog Valeu Cara no Google+Canal do Blog Valeu Cara no YouTube





Participe deixando seu comentário, dúvida, sugestão, ideias, críticas, exemplos ou o que você quiser na parte de comentários desta postagem. Sua participação é extremamente importante para que este blog esteja sempre melhorando o seu conteúdo.

terça-feira, 3 de junho de 2014

O Calc vai pra Copa do Mundo

Não se preocupe com nada! Apenas preencha os resultados dos jogos nesta completa planilha para a Copa do Mundo elaborada no Calc


O Blog +Valeu Cara  traz até você uma tabela completa para a Copa do Mundo, repleta de detalhes e totalmente elaborada no LibreOffice Calc.

A tabela é cheia de recursos e dividida em três planilhas. Você não precisa se preocupar com nada, tudo na tabela é automatizado, bastando apenas que você insira o resultado de cada jogo. Todos os mecanismos funcionam conforme as regras da Fifa para a Copa de 2014.

terça-feira, 27 de maio de 2014

Formulário de Aviso Prévio do Empregador


O Blog +Valeu Cara traz mais um documento essencial para escritórios, aproveitando a ferramenta de formulários do Writer. Aqui, algo que poucas pessoas (ou praticamente ninguém) gostaria de ver em sua frente: o aviso prévio.

Aviso prévio é o nome que se dá à comunicação antecipada e obrigatória que, numa relação de emprego onde inexista prazo determinado para o fim do contrato, uma parte deve fazer à outra de que deseja rescindir sem justa causa o contrato de trabalho existente.

Esta comunicação deverá ser efetuada com prazo mínimo de 30 dias para contratos que tenham até um ano de vigência. Para contratos que tenham completado um ano será acrescido 3 dias ao período de comunicação obrigatória, sendo que a cada ano de vigência do mesmo contrato acrescenta-se mais 3 dias ao prazo mínimo exigido. (Conforme Legislação Trabalhista/CLT).

Seja como for, se você receber um documentos desses, procure orientação.

Clique no botão abaixo para fazer o download do documento preenchível no Writer.

Clique aqui para baixar


Assine nossa newsletter!

Quer receber as novidades mais recentes do Blog Valeu Cara na sua caixa de entrada?
Informe seu e-mail e clique em Assinar.

Assine o feed RSS Siga o Blog Valeu Cara no Twitter Curta o Blog Valeu Cara no Facebook Blog Valeu Cara no Google+Canal do Blog Valeu Cara no YouTube





Participe deixando seu comentário, dúvida, sugestão, ideias, críticas, exemplos ou o que você quiser na parte de comentários desta postagem. Sua participação é extremamente importante para que este blog esteja sempre melhorando o seu conteúdo.

domingo, 18 de maio de 2014

Vetorização automática de fotos no Inkscape para estampas de camisas


O procedimento para o rastreio automático de imagens do Inkscape é algo tão simples que dispensa qualquer tipo de tutorial.
O objetivo desse artigo é mostrar alguns princípios básicos importantes sobre imagens bitmap e imagens vetoriais. Por fim, você terá um exemplo do sofisticado poder de rastreio do Inkscape.

Primeiramente é preciso que você compreenda a diferença de uma imagem gráfica em bitmap (imagem raster) e uma imagem gráfica vetorial.

Um objeto gráfico bitmap é uma matriz de pixels. Por pixel define-se cada ponto de cor que compõe uma imagem. Quanto maior o número de pixels (do termo dpi – em inglês, dots per inch – pontos por polegada), maior será a definição da imagem, e proporcionalmente maior será o tamanho do arquivo.
Os formatos de imagens bitmaps mais comuns são .JPG, .GIF, .PNG, .TIF, .PSD.

É impossível redimensionar uma imagem bitmap sem perda de informações. Essa perda é proporcional ao tanto que a imagem for redimensionada, seja para um maior ou para um menor tamanho.

domingo, 11 de maio de 2014

Quebra de paradigmas: encarando a indústria gráfica com software livre


O software livre, afinal de contas, tem estrutura para competir no ramo da indústria gráfica? Tem. Não só tem como possui todas as condições de impor respeito e em mesmo pé de igualdade com alguns gigantes consagrados do setor. Mas por que então o software livre ainda tem tão pouca expressividade nessa área? Bom, as respostas podem ser muitas. Mas ao longo deste artigo vou tentar enumerar pelo menos uns quatro fatores que considero principais. Um detalhe importante é que os programas open source destinados ao design gráfico vem ganhando cada vez mais espaço, conforme novas atualizações incorporam recursos extras e aprimoram ainda mais as funcionalidades desses softwares.

Desde quando Johannes Gutenberg teve a brilhante ideia de colocar tipos móveis numa prensa de madeira, capaz de produzir textos impressos em massa, por volta de 1439, os métodos de impressão nunca mais pararam de evoluir. A técnica de impressão com moldes não era novidade – já tinha sido iniciada havia 14 séculos na China por meio da impressão de gravuras. Mas, agora, com a criação de Gutenberg, que moldara os tipos em um material bem mais resistente e durável que os usados pelos chineses, ela ficava muito mais eficaz e rápida. A impressão em massa, possibilitada a partir daí, transformaria a cultura ocidental para sempre. Houve vários momentos memoráveis que alavancaram a reprodução da escrita - como a que foi ocasionada pela revolução industrial. No século 20 as técnicas de impressão deram dois gigantescos saltos - o primeiro foi no início do século, com o surgimento do sistema offset; e o segundo foi próximo ao final, com o começo da era da editoração eletrônica (ou DTP, do termo em inglês Desktop Publishing), inaugurado pelo software PageMaker para os computadores Macintosh, da Apple.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Configurando um novo documento no Scribus



O Blog Valeu Cara apresenta este primeiro tutorial de uma série voltada para iniciantes do Scribus.

Observando fóruns pela internet, e comunidades em redes sociais, é possível observar que uma grande parte de usuários do Scribus sentem dificuldade para achar tutorias que expliquem, de maneira mais didática, as ferramentas básicas deste excelente software de editoração eletrônica.

Há usuários que até sabem usar relativamente bem o Scribus, mas esbarram em dificuldades que podem ser evitadas, já que as soluções as vezes são muito simples como, por exemplo, criar páginas modelo ou até trabalhar com estilos.

Então, este primeiro tutorial é para o usuário iniciante e para aquele que já conhece o software, porém precisa aprimorar um pouco os seus conhecimentos.

Aqui, vou falar um pouco sobre a criação de novos documentos.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Mala direta - parte 2: imprimindo envelopes


O Blog Valeu Cara já publicou um tutorial que mostrava passo-a-passo todos os macetes para impressão de etiquetas no Writer, usando o recurso de mala direta.

Este tutorial pode ser visto aqui:

http://valeucara.blogspot.com.br/2013/12/mala-direta-parte-1-criando-etiquetas.html

Aquele artigo mostrava com usar uma planilha do Calc para alimentar etiquetas de endereçamento postal. O mesmo método também pode ser usado para criar etiquetas de qualquer outra coisa: preços de produtos, descrição de itens, códigos de controle de patrimônio, etc.

Ao invés de imprimir etiquetas, alternativamente você também poderá imprimir diretamente nos envelopes. Essa sem dúvida é uma opção bastante interessante, pois acrescenta uma aparência mais rebuscada e profissional no visual do envelope. A única desvantagem de imprimir diretamente sob o envelope é que na maioria das impressoras de uso doméstico só é possível imprimi-lo um a um ou com pouquíssima quantidade na bandeja, o que torna o processo mais demorado. Isso pode tornar a tarefa inviável caso haja necessidade de impressão de grandes volumes. Nesse aspecto, as etiquetas ganham a briga. Mas se a quantidade que você precisa imprimir não for tão numerosa, com certeza a impressão direta sob os envelopes é uma opção muito bacana a ser considerada.

Para este artigo, foi usada uma planilha no Calc para armazenar informações cadastrais fictícias como fonte de dados - a mesma planilha que havia sido usada no primeiro artigo sobre mala direta. Você poderá usar qualquer planilha com informações reais daquilo que você precisa. O mais importante é que o arquivo contenha as informações necessárias.

Antes de começarmos, não se esqueça que para uma fonte de dados ficar acessível no Writer, é preciso registrá-la. Se você não sabe o que é isso, leia o artigo "Criando etiquetas de endereçamento".

Há duas formas básicas para se criar envelopes no Writer, que inclusive traz recursos que facilitam bastante na criação desse item: no primeiro modo, o envelope é criado juntamente com uma carta, geralmente como a primeira página (Inserir na caixa de diálogo Envelope); o segundo meio é criar o envelope como um documento independente (Novo doc. na caixa de diálogo). Em cada caso os dados de endereçamento podem ser inseridos manualmente, bastando digitar os dados diretamente no campo de Destinatário. Todavia essas informações também podem ter origem em um catálogo de endereços armazenados numa fonte de dados, como numa planilha do Calc por exemplo.

Note que como estamos falando de mala direta, este artigo considera o uso de uma fonte dados que contenha o catálogo de endereços e, por conveniência, um envelope independente. Então chegou a hora de saber como funciona isso! Vamos iniciar nosso tutorial...

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Transforme qualquer imagem de bandeira plana num belíssimo visual realístico de cetim


Neste artigo vou mostrar como transformar qualquer imagem de bandeira que esteja naquele modo de visão plano, típico de enciclopédia, numa arte bem bacana que lembra um tecido de cetim meio ondulado. É super fácil.

O cetim é um tecido requintado, cuja principal característica é o seu brilho e caimento. Agora você irá aprender como fazer a transformação no mesmo visual mostrado na imagem acima. É bem bacana não é?

sexta-feira, 28 de março de 2014

Deixe o contrato de locação de imóvel por conta do Writer




Um contrato de locação é aquele contrato pelo qual uma das partes (locador) se obriga a ceder à outra (locatário), por tempo determinado ou não, o uso e gozo de coisa não fungível, mediante certa retribuição. Trata-se de contrato bilateral, oneroso (mediante pagamento), consensual (a obrigação surge no acordo de vontade), comutativo, diferido no futuro e não solene (pode ser verbal, por exemplo).

Os modelos de contratos de locação residencial e comercial apresentados aqui, no Blog +Valeu Cara, foram feitos usando-se o recurso de formulários, no Writer. Por isso, seu preenchimento visa facilitar a relação entre o inquilino e o proprietário, possibilitando um acordo básico dentro do que é previsto nos dispositivos presentes na Lei do Inquilinato (Lei 8.245 de 18 de outubro de 1991, com alterações da Lei nº 12.112 de 9 de dezembro de 2009).

sábado, 22 de março de 2014

Explore o universo sem sair de casa




Planetas, estrelas, asteroides, galáxias, cometas e até sondas especiais... Já pensou poder dar uma voltinha pelo espaço e conhecer o sistema solar e até viajar a outras estrelas? Júpiter fica logo ali. E que tal dar uma passadinha por Saturno antes de retornar para a Terra e pegar uma carona na Estação Espacial Internacional? Se você acha impossível, não sabe o que está perdendo! Tudo está ali, a um clique do mouse. E tem mais! Tudo com visualização em 3D, ou seja, você pode literalmente orbitar em qualquer corpo celeste.

Abaixo segue uma lista dos principais softwares livres usados na área de astronomia. Alguns necessitam de conhecimentos técnicos para poder compreendê-los. Outros, porém, são o xodó do público amante das estrelas.

sábado, 15 de março de 2014

Leve seus vídeos para o aparelho de DVD de forma rápida e sem firulas



Sabe aquele monte de vídeos espalhados no HD do seu notebook, no cartão de memória do seu celular, no tablet do irmão, na câmera fotográfica do primo, etc, etc, etc...? Na hora de querer mostrar para os amigos é um sufoco não é?

E aquelas vídeo-aulas que você baixou da internet e gostaria de colocar numa mídia de DVD, para depois poder assistir na TV ou emprestar para um colega? Ah e tem também todos aqueles filmes que você baixou via torrent, não é mesmo? Bem, não vou entrar aqui no mérito ético (e legal) da questão sobre pirataria. As questões sobre pirataria e partilhas (torrents) são um assunto prá lá de delicado e que facilmente levanta debates acirrados e muita polêmica - e por isso mesmo não vou entrar em deliberações. Mas também não vai ser por isso que vou me omitir de mostrar o uso de um software, cuja finalidade principal é converter o arquivo de qualquer vídeo que existir por aí para o formato de DVD - tarefa que ele cumpre com perfeição. O que será gravado, aí é algo que não me cabe ficar aqui discutindo.

Bom, saindo do dilema moral, vamos ao que interessa. Hoje iremos aprender como dar um jeito nesses vídeos, usando o software DeVeDe. É assim mesmo que o nome dele é escrito - 'DeVeDe'. Não irei explorar minuciosamente todos os recursos desse programa, até porque recurso é algo que ele tem de sobra. Irei direto ao ponto que interessa à maioria dos utilizadores: pegar um vídeo qualquer e levá-lo para uma mídia de DVD, para depois ser reproduzido na TV, através do aparelho de DVD. Isso de forma rápida, sem frescuras e com direito até a um menu.

Devo dizer que todo este tutorial é baseado no Ubuntu. Mas mesmo que você use outra distribuição do Linux, não terá dificuldade alguma em acompanhar o texto. O DeVeDe também possui versão para Windows, mas como este blog é voltado ao software livre, a prioridade será sempre especificar as condições de uso do software dentro de um sistema operacional também livre.

Figura 1

O DeVeDe é um programa para a criação de DVDs, VideoCDs, Super VideoCDs, CVDs e discos DIVX e MPEG-4.

A ferramenta suporta como entrada os formatos mais populares de vídeo, ou seja o MPEG, VOB, AVI, OGG, OGM, WMA, WMV, QT, MOV, MP4, MKV e até o badaladíssimo FLV, que é o formato utilizado por sites de compartilhamento de vídeos como o YouTube. Por aí você já deve perceber o poder deste software. Ao aceitar FLV, ganhamos uma imensa vantagem de evitarmos a necessidade de ter que converter o vídeo para um formato intermediário antes de podermos gerar o disco. O MP4 também é outro formato de vídeo bastante popularizado e que está difundido em tudo quanto é canto - e que o programa DeVeDe encara num boa. Mas há ainda outros formatos de vídeo não tão conhecidos e que para o DeVeDe não é problema algum - como o exótico e inovador MKV por exemplo. Pode colocar lá no software para ele converter que ele topa, sem reclamar!

O aplicativo tem um jeitão de simples, mas não se engane - ele oferece recursos para lá poderosos!

sábado, 8 de março de 2014

Instalando algumas aplicações importantes e imprescindíveis no seu Ubuntu


Artigos semelhantes a este já existem aos montes em blogs e sites de computação espalhados pela web. Por isso não pretendo ficar martelando o mesmo prego. Meu objetivo neste artigo não é repetir novamente todas aquelas etapas que já foram abordadas à exaustão, como atualizar o sistema, alterar repositórios, ajustar configurações de energia, criar conta no Ubuntu One, mudar posição de botões, instalar drivers adicionais, tweaks e programinhas bacanas. Minha intenção é falar realmente da parte que considero imprescindível - embora esse fator possa variar de um usuário para outro. Por isso também tentarei ser flexível ao máximo.

Para quem é usuário iniciante do Ubuntu, abaixo estão algumas instruções preciosas e que são válidas para a maioria das últimas versões lançadas.

Você acabou de instalar seu Ubuntu e está super animado para tirar proveito de todos os recursos que este excelente sistema operacional pode oferecer. Basicamente, você quer ter disponível programas / plugins / codecs para ouvir suas músicas preferidas, assistir videoclipes e DVDs de filmes, assistir aos vídeos do Youtube, etc. Neste artigo o objetivo não é aplicar alterações profundas no visual do sistema e muito menos sair instalando tweaks ou uma montoeira de softwares inúteis - mas sim tentar deixar seu Ubuntu bem completo para encarar qualquer tarefa trivial.

O Ubuntu já traz por padrão um conjunto elementar de softwares e codecs para que seu micro seja utilizável nas funções básicas daquilo que se espera de um sistema operacional, ou seja, logo após a instalação, você já poderá navegar na web, criar e editar documentos, ouvir músicas, visualizar fotografias, enfim, fazer aquelas tarefas cotidianas de todo mortal na frente de um computador.

Ora, se é assim, então para que instalar mais coisas? Bom, a verdade é que o Ubuntu traz o essencial - e isto significa o essencial mesmo, ou seja, apenas àqueles aplicativos mais comuns a todo e qualquer tipo de usuário. Se a Canonical -  a empresa responsável pelo Ubuntu - fosse agradar a todos os gostos teria que fornecer um DVD abarrotado de programas e isso certamente implicaria a inclusão de muitos softwares que não teriam qualquer utilidade alguma para a maioria das pessoas. Por outro lado, o conjunto que vem por padrão na instalação do Ubuntu, costuma significar uma limitação grande demais para grande parte dos usuários mais exigentes.

 Se você for um estudante universitário da área de ciências da computação, por exemplo, certamente vai querer usar o Lazarus e uma calculadora capaz de realizar cálculos binárias e hexadecimais; um produtor musical irá precisar do Ardour; e um desenhista gráfico irá depender do Gimp, Inkscape e do Scribus. Então a questão do que é um software imprescindível é um fator bastante relativo. Entretanto, em meio a todos os gostos e necessidades, não há quem resista a uma boa música ou um filme de vez em quando. Só que o conjunto que vem no Ubuntu é possível que esbarre em algum arquivo de formato não compatível, principalmente se durante a instalação você não selecionou a opção de instalar softwares de terceiros. Além disso, vale mencionar que muitos outros softwares não podem vir por padrão no Ubuntu devido a restrições legais de licenciamento, mas nada o impede que você mesmo o instale posteriormente de maneira absolutamente legal. Então, vamos ao que interessa!


domingo, 2 de março de 2014

Arte em vetor: entardecer no Rio de Janeiro


Aqui está mais um ótimo exemplo do poder do Inkscape - o mais famoso software livre para editoração eletrônica de imagens e documentos vetoriais.

Acima você vê uma paisagem do entardecer no Rio de Janeiro, com o Morro do Corcovado e a estátua do Cristo Redentor (à direita), a Lagoa Rodrigo de Freitas (à esquerda) e ao fundo a praia de Ipanema. Apesar de toda a beleza, a imagem acima não é real - ou falando num modo mais coerente - não se trata de uma fotografia! Trata-se de um desenho vetorial totalmente construído usando recursos do Inkscape.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Gabarito para etiqueta Pimaco A4355



Atendendo ao pedido da leitora do blog +Zailda Coirano e aproveitando a oportunidade que já tinha este modelo pronto e configurado, estou disponibilizando o gabarito para impressão da etiqueta Pimaco modelo A4355, totalmente compatível com o Writer. Este modelo possui o tamanho 6,35 cm x 3,10 mm, sendo 27 etiquetas por página tamanho A4.

Bom proveito!




Participe deixando seu comentário, dúvida, sugestão, ideias, críticas, exemplos ou o que você quiser na parte de comentários desta postagem. Sua participação é extremamente importante para que este blog esteja sempre melhorando o seu conteúdo. Fique por dentro das atualizações do blog:

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Uma roda de cores cônica no Inkscape



Existem vários tipos de degradês conhecidos. Degradês, como você sabe, é uma área onde duas ou mais cores são sobrepostas gradualmente, formando uma transição suave de tonalidades entre as cores. A forma mais comum e simples de degradê é o linear, em que um espaço é preenchido com uma mesclagem de cores de um ponto ao outro, em linha reta.

Não se sabe exatamente quando os primeiros artistas começaram a usar degradês, mas a técnica foi bastante explorada na Idade Média, para elaboração de pinturas com temática religiosa. O uso do degradê se tornou consagrado pelo artista italiano Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni ou simplesmente Michelangelo, nascido em 1475 - considerado um dos maiores criadores da história da arte no ocidente. Michelangelo, que também era escultor, conhecia muito bem os efeitos da iluminação sobre um objeto - no caso, suas esculturas. Michelangelo passou a usar a técnica do degradê para atribuir sensação de "volume" e "profundidade" às suas pinturas, fazendo-as parecer que seriam objetos esculpidos em 3D.

Com a revolução da arte digital, a partir do advento dos computadores, o uso de degradês ganhou aspectos quase que ilimitados.

Não irei me ater a esse assunto por mais tempo, já que este não é o objetivo deste artigo. Aqui irei falar do degradê cônico. Como o nome sugere, trata-se da simulação do efeito provocado pela incidência de iluminação lateral num cone, visto de cima. Isso significa uma graduação de cores em uma série de círculos concêntricos, que se irradia a partir do centro da área preenchida.

O Inkscape ainda não oferece uma ferramenta para a criação direta desse tipo de degradê, mas isso não significa que seja impossível de criá-lo através dos recursos já existentes no software.